No Meio Do Caminho - Mario Sergio Cortella

Sinopse

Reflexão filosófica das notícias mais comentadas da semana.

Episódios

  • É necessário ter cuidado com a falsa generosidade

    É necessário ter cuidado com a falsa generosidade

    29/06/2020 Duração: 02min

    Algumas vezes, atos que parecem generosos ou altruístas podem ser motivados por interesses escusos. Mario Sergio Cortella destaca uma frase do escritor francês La Rochefoucauld sobre o assunto: 'o interesse fala tudo que é língua e representa tudo o que é personagem, mesmo a do desinteressado'.

  • A paz não é impossível e deve começar nas nossas mentes

    A paz não é impossível e deve começar nas nossas mentes

    26/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella ressalta que a paz é um dos ideiais mais buscados pela humanidade ao longo da história e que a construção dela é trabalhosa, mas possível. Para ilustrar a questão, Cortella cita um trecho da constituição da Unesco: 'como as guerras começam na mente das pessoas, é na mente das pessoas que as defesas da paz devem ser construídas'.

  • A fraqueza da força é só crer na força

    'A fraqueza da força é só crer na força'

    25/06/2020 Duração: 02min

    A frase do escritor francês Paul Valery nos lembra que a brutalidade só se sustenta pela própria brutalidade, como explica Mario Sergio Cortella. Na análise dele, a dominação apenas pela força tende a se esgotar ao longo do tempo.

  • O mundo está cheio de gente boa que por toda parte só vê gente que não presta

    O mundo está cheio de 'gente boa' que por toda parte só vê 'gente que não presta'

    24/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella lembra que é muito comum encontrar pessoas que criticam outras, mas não têm clareza sobre as próprias atitudes. Para ele, tendência a apontar erros apenas nos atos dos outros, além de ser um 'desvio de compreensão', é arrogante.

  • A glória não é absoluta e precisa ser reavaliada

    A glória não é absoluta e precisa ser reavaliada

    23/06/2020 Duração: 02min

    O movimento que pede a remoção de estátuas em vários países nos lembra que a avaliação sobre as coisas é relativa e historicamente situada. Mario Sergio Cortella cita o escritor Joaquim Nabuco para lembrar que 'a glória é um processo de apuração que nunca para': 'um dia, os imortais se unirão aos anônimos no esquecimento final'.

  • Ameaças devem ser combatidas rapidamente para que não se tornem incontroláveis

    Ameaças devem ser combatidas rapidamente para que não se tornem incontroláveis

    22/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella destaca que é preciso 'prestar atenção no que diminuto sendo no início, traz dano imenso se cresce liberto'. Ou seja: o que ameaça nossa integridade deve ser combatido rapidamente. Uma passagem da obra de Shakespeare ilustra a questão: 'um pequeno fogo, que se apaga com facilidade, quando tolerado, nem por rios se deixa extinguir'.

  • O êxito é relativo

    O êxito é relativo

    19/06/2020 Duração: 02min

    Nos últimos dias, temos assistido a um movimento de revisão da história de algumas figuras famosas. Mario Sergio Cortella cita o filósofo alemão Arthur Schopenhauer para explicar, ainda, que alguns grandes feitos acabam ficando perdidos no passado, enquanto grandes obras — principalmente as escritas — tornam-se perenes.

  • Os intolerantes querem exterminar os que pensam diferente

    Os intolerantes querem exterminar os que pensam diferente

    18/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella destaca que a diversidade é fundamental para a existência humana, mas é percebida por muitas pessoas como perturbadora. Tal sentimento pode acabar, por vezes, levando a um desejo pelo extermínio dos que são diferentes. Anatole France, um escritor francês, resume bem a questão: 'os homens animados por uma fé comum nada tem feito mais depressa senão exterminar aqueles que pensam diferente, sobretudo quando a diferença é muito pequena'.

  • Nossa democracia vem dando sinais de grande valentia

    'Nossa democracia vem dando sinais de grande valentia'

    17/06/2020 Duração: 07min

    Mario Sergio Cortella destaca que tensão política gera dois problemas principais. Um deles é 'distrativo': devido aos conflitos, questões importantes podem acabar ficando em segundo plano. Outro problema é 'provocativo', porque 'vai gerando uma forma alarmmista de condução das relações institucionais'. Nesse contexto, Cortella avalia que vários setores da sociedade têm reagido, mostrando que 'não é tão simples assim' acabar com a democracia.

  • É ridículo fingir ser o que não se é

    É ridículo fingir ser o que não se é

    17/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella destaca que excesso de autoconfiança pode 'perturbar' convivência na sociedade, mas lembra que a baixa autoestima também traz consequências negativas. Sobre isso, Goëthe escreveu: 'um erro grave: julgar-se mais do que se é e estimar-se menos do que se merece'.

  • A fé perturbada e o proselitismo persistente que incomodam

    A 'fé perturbada' e o proselitismo persistente que incomodam

    16/06/2020 Duração: 02min

    Professor Cortella fala sobre as pessoas que 'não se cansam de nos cansar' com o proselitismo religioso e o moralismo exacerbado. Para ele, esse comportamento é típico de quem teme a si mesmo. Sobre isso, o escritor belga Henri Michaux afirmou: 'quem rejeitou seus demônios nos importuna com seus anjos'. Quem rejeitou seus demônios, nos importuna com seus anjos

  • A transparência não pode ser conveniente

    A transparência não pode ser conveniente

    15/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella destaca que devemos manter sempre a transparência em relação aos nossos atos, o que significa que não podemos agir de forma antiética quando ninguém está nos vendo. Para Cortella, não se trata de acabar com a privacidade, mas de evitar 'indecências'.

  • O amor dá mais sentido à vida

    O amor dá mais sentido à vida

    12/06/2020 Duração: 02min

    A vida ganha mais essencialidade quando se pensa nas relações amorosas. Não podemos desprezar essas circunstâncias, mesmo que sejam passageiras.

  • Os dedo-duros têm um anonimato a zelar

    Os dedo-duros têm um anonimato a zelar

    11/06/2020 Duração: 02min

    A covardia de quem usa o anonimato para agir às escondidas.

  • Toda homenagem é circunstancial ao seu tempo

    'Toda homenagem é circunstancial ao seu tempo'

    10/06/2020 Duração: 09min

    Nesta semana, manifestantes derrubaram estátua do traficante de escravos Edward Colston em Bristol, na Inglaterra. Movimento de revisionismo, na visão de Mario Sergio Cortella, é natural diante de uma reação à crueldade que algumas figuras representaram no passado. No entanto, em vez de apagar a memória, um dos caminhos pode ser refletir e reposicionar o papel delas na história.

  • Os espinhos que colhi são da árvore que plantei

    'Os espinhos que colhi são da árvore que plantei'

    10/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella faz referência à frase do poeta britânico Lord Byron para lembrar das pessoas que machucam a si mesmas, mas depois dizem ser vítimas de injustiça ou perseguição.

  • A força sem legitimação se instala como opressão

    A força sem legitimação se instala como opressão

    09/06/2020 Duração: 02min

    Não há como a sociedade viver em paz, harmonia e ordem, sem que haja o uso de uma força legitimada para conter a brutalidade. Mas, para Mario Sergio Cortella, ela só é válida quando nos protege como cidadãos.

  • Os exemplos de desumanidade às novas gerações

    Os exemplos de desumanidade às novas gerações

    08/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella disserta sobre a formação invertida, as vezes em que vamos na contramão da ideia de formar crianças e jovens com práticas de fraternidade e solidariedade.

  • Não se pode ter uma paz enganadora

    Não se pode ter uma paz enganadora

    05/06/2020 Duração: 02min

    O conflito faz parte do aperfeiçoamento do ser humano. Mario Sergio Cortella explica que, quando o debate está no campo das ideias, a própria democracia organiza os enfrentamentos de modo que não representem uma ruptura.

  • É muito mais fácil reconhecer o erro do que encontrar a verdade

    É muito mais fácil reconhecer o erro do que encontrar a verdade

    04/06/2020 Duração: 02min

    Mario Sergio Cortella analisa a 'superficialidade' do equívoco em contraponto à densidade da exatidão. Para o pensador alemão Goethe, a verdade repousa no fundo e não é qualquer um que pode investigá-la.

página 1 de 2