Dia A Dia Da Economia - Míriam Leitão

Dia A Dia Da Economia - Míriam Leitão

Sinopse

Análise diária dos principais fatos da economia com uma das mais importantes e influentes jornalistas do país.

Quem ouviu esse, ouviu também:


Episódios

  • Importante saber que se fez um movimento com criação de Conselho da Amazônia
    'Importante saber que se fez um movimento' com criação de Conselho da Amazônia
    Duração: 11min | 22/01/2020

    Míriam Leitão comenta a criação do Conselho da Amazônia, que ficará a cargo do vice-presidente Hamilton Mourão e busca investir na questão ambiental com mais atenção. 'Aumentou o patamar da questão amazônica. Isso esvazia o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Criar um grupo de integração para discutir meio ambiente é importante'. Ela pondera, no entanto, que é preciso ficar atento ao teor do que será defendido neste conselho em relação ao meio ambiente.

  • O Ministério Público tem autonomia, mas não pode atropelar os ritos tradicionais da Justiça
    'O Ministério Público tem autonomia, mas não pode atropelar os ritos tradicionais da Justiça'
    Duração: 06min | 22/01/2020

    Míriam Leitão fala sobre a denúncia do Ministério Público Federal contra o jornalista Glenn Greenwald por crimes relacionados à invasão de celulares de autoridades. O jornalista foi denunciado, inclusive, sem ter sido investigado ou denunciado pela Polícia Federal. 'É importante toda atenção a esse caso. Ele não foi investigado, não foi indiciado, não foi interrogado, mas o procurador resolveu denunciá-lo'. Segundo Míriam, o Ministério Público tem autonomia, mas não pode atropelar os ritos tradicionais da Justiça. 'A liberdade de imprensa quando é ferida atinge a democracia'.

  • Fala de Paulo Guedes em Davos sobre questão ambiental prejudica o país
    Fala de Paulo Guedes em Davos sobre questão ambiental 'prejudica o país'
    Duração: 11min | 21/01/2020

    Paulo Guedes afirmou, em Davos, que 'o pior inimigo do meio ambiente é a pobreza'. Para Míriam Leitão, pensamento do ministro está completamente equivocado. 'Uma afirmação tão superficial e equivocada é ruim porque fortalece a ideia de que o Brasil está indo pelo caminho errado na questão ambiental', avalia.

  • Construir diversidade dentro do corpo de funcionários ajuda a empresa a entender o país
    Construir diversidade dentro do corpo de funcionários ajuda a empresa a entender o país
    Duração: 06min | 21/01/2020

    Companhias têm visão limitada quando fazem recrutamento só de quem mora perto e discrimina quem mora longe. Pesquisa da OET diz que não vê, nesse momento, nenhuma força puxando a criação de emprego no Brasil.

  • Problema é a ausência do Brasil na questão da sustentabilidade
    Problema é a ausência do Brasil na questão da sustentabilidade
    Duração: 12min | 20/01/2020

    Ausência do presidente Bolsonaro em Davos não deve prejudicar participação brasileira. Paulo Guedes está preparado para o evento e sabe se mover no Fórum Econômico Mundial com mais afinidade do que o presidente. No ano passado, Bolsonaro mostrou desconforto e falou apenas seis minutos.

  • ‘É um alívio que ele saia, mas a política permanece’
    ‘É um alívio que ele saia, mas a política permanece’
    Duração: 09min | 17/01/2020

    Míriam Leitão diz que é preciso entender porque o secretário Nacional de Cultura Roberto Alvim fez citação nazista em vídeo. Ela acredita que é importante entender o que o levou a chegar a esse ponto extremo de explicitar o pensamento nazista, que permanecerá como uma sombra.

  • É inaceitável ouvir as palavras de um monstro na boca de uma autoridade brasileira
    'É inaceitável ouvir as palavras de um monstro na boca de uma autoridade brasileira'
    Duração: 08min | 17/01/2020

    Míriam Leitão analisa a postura do secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, que copiou uma citação do nazista Joseph Goebbels, ministro da propaganda de Adolf Hitler, durante um pronunciamento para divulgar um concurso nacional de artes. 'O secretário atravessou a fronteira para a evocação de uma barbárie, a maior barbárie de século XX, que ficou marcada na história da civilização mundial como aquilo que a gente deve rejeitar'. Ela acrescenta que 'não é brincadeira o que aconteceu. Não se cita um nazista. Uma autoridade brasileira não pode citar palavras de um nazista'.

  • O Brasil pode aprender com os erros e os acertos do Chile
    'O Brasil pode aprender com os erros e os acertos do Chile'
    Duração: 10min | 16/01/2020

    Governo chileno quer que as empresas passem a contribuir para a Previdência no país. Com isso, a alíquota aumentaria de dez para 16%. Míriam Leitão comenta: 'O sistema deles, de capitalização, era invejado pela equipe econômica do Brasil. Ela pode ser boa, mas tem que se saber em que bases é feita. É um sistema diferente, aqui trabalhamos com repartição'. Ela destaca que falhas levaram à crise no país vizinho. 'Cada trabalhador poupa pra si mesmo. Era necessário que empregadores também depositassem algo para não dar o desequilíbrio. Ficou claro que o Chile não era a solução, a reforma da Previdência lá foi imposta'.

  • ‘O Governo vai poder fazer uma ANP à sua imagem e semelhança’
    ‘O Governo vai poder fazer uma ANP à sua imagem e semelhança’
    Duração: 07min | 16/01/2020

    Míriam Leitão comenta a saída do diretor-geral da ANP, Décio Oddone, e explica que os mandatos de outros dois diretos também terminam neste ano. Ela explica que o governo terá a oportunidade de reestruturar a agência. Para Míriam, a medida pode ser ruim porque tira a autonomia da ANP, mas ressalta que os indicados podem ser pessoas que mantenham suas autonomias mesmo sendo indicadas pelo governo.

  • Vantagem de entrar na OCDE é estar junto a países que querem que o mundo avance
    'Vantagem de entrar na OCDE é estar junto a países que querem que o mundo avance'
    Duração: 09min | 15/01/2020

    Míriam Leitão comenta a decisão dos EUA de apoiar a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a OCDE. 'Faz muito mais sentido o Brasil do que a Argentina, que está em crise há muito tempo. O Brasil tem relação com a OCDE de acompanhar como ouvinte. Os técnicos e o diretor-geral da OCDE vêm sempre ao país'. Ela destaca, ainda, que a organização é um grande centro para pensar o desenvolvimento e como se chega a uma sociedade mais desenvolvida, preservando a democracia.

  • INSS: governo subestimou o problema e superestimou a capacidade de resolvê-lo
    INSS: 'governo subestimou o problema e superestimou a capacidade de resolvê-lo'
    Duração: 06min | 15/01/2020

    Míriam Leitão fala da medida do governo de recrutar militares da reserva para ajudar a reduzir a fila de benefícios do INSS. 'Por mais boa vontade que os militares tenham, eles terão que passar por um processo de aprendizado'. Míriam acrescenta que 'não é simples, não é chegar lá e ir tocando'.

  • Governo não pode deixar de pagar benefício em função de restrição fiscal
    'Governo não pode deixar de pagar benefício em função de restrição fiscal'
    Duração: 09min | 14/01/2020

    Míriam Leitão comenta as medidas que serão tomadas para reduzir a fila de mais de 1,3 milhão de usuários à espera de liberação de benefícios no INSS. 'O governo está pensando em fortalecer a força-tarefa que foi montada e em remanejar funcionários. Até esta quarta, as medidas serão anunciadas, além de apresentado um diagnóstico. Claro que, ao se anunciar e se fazer a reforma da Previdência, as pessoas iriam correr para obter o benefício. Isso já poderia ter sido previsto'.

  • Renúncias fiscais: do ponto de vista econômico é um gasto
    Renúncias fiscais: 'do ponto de vista econômico é um gasto'
    Duração: 06min | 14/01/2020

    O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, participou do Jornal da CBN, e foi questionado sobre a possibilidade de criação de novo subsídio nas contas de luz dos templos religiosos. Míriam Leitão analisa a situação e fala do contrassenso da situação já que ele mesmo diz que estamos em um momento de redução de benefícios tributários e o setor já é beneficiado com subsídios fiscais.

  • ‘O mercado não se assustou com a inflação fechada do ano passado’
    ‘O mercado não se assustou com a inflação fechada do ano passado’
    Duração: 09min | 13/01/2020

    Miriam Leitão comentou o boletim Focus e explicou que o resultado mostra que IPCA não vai permanecer pressionado como mostrou nos últimos três meses do ano passado.

  • Não é função do Banco Central estimular crescimento
    'Não é função do Banco Central estimular crescimento'
    Duração: 09min | 13/01/2020

    Míriam Leitão analisa dados do Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central. O mercado reduziu as estimativas para a inflação 2020 e manteve a expectativa de alta do PIB em 2,3%. 'Não é papel do Banco Central estimular crescimento. O Banco Central tem que manter inflação no centro da meta e com a melhor taxa de desenvolvimento que puder'.

  • Todo programa social precisa de constante aperfeiçoamento
    'Todo programa social precisa de constante aperfeiçoamento'
    Duração: 07min | 13/01/2020

    Míriam Leitão analisa a reformulação do Bolsa Família e o custo que a medida deve envolver. A reestruturação prevê aumentar a renda de 10 milhões de beneficiários mais pobres, que já integram o programa social. 'Na área social, o governo está muito fraco'. Míriam acrescenta que, se o interesse é só botar outro rótulo para tentar faturar com o programa, a ideia é ruim. Mas, se o objetivo é aperfeiçoar, isso é ótimo.

  • Inflação merece preocupação porque está batendo no bolso dos brasileiros
    Inflação 'merece preocupação porque está batendo no bolso dos brasileiros'
    Duração: 11min | 10/01/2020

    Semana termina com uma inflação muito alta, de 1,15% pelo IPCA de dezembro, e 4,31% no total do ano. Resultado é acima da meta estabelecida pelo governo. Míriam Leitão analisa o cenário: 'é preciso ficarmos atentos porque há núcleos pesando muito, como a carne, que teve aumento de 32,4% em 2019. Não há risco de disparar, mas ficou mais preocupante e merecendo preocupação porque está batendo no bolso dos brasileiros'. Analista ainda traz um resumo de outros pontos importantes da semana na política e na economia.

  • Viagem de Bolsonaro para a Índia pode aumentar acordos entre os países
    Viagem de Bolsonaro para a Índia pode aumentar acordos entre os países
    Duração: 06min | 10/01/2020

    Míriam Leitão disse que apesar de ser uma festividade, Brasil e Índia vão assinar acordos que podem facilitar investimentos e estimular o comércio.

  • Os negócios progridem e prosperam em ambiente de paz
    'Os negócios progridem e prosperam em ambiente de paz'
    Duração: 05min | 09/01/2020

    Míriam Leitão analisa os desdobramentos da decisão Trump ao impor novas sanções econômicas ao Irã. 'As sanções econômicas acabam provocando o estrangulamento econômico do Irã'. Por causa dessas sanções, o Irã entrou em recessão e o risco é que importe menos. 'Esse ambiente de conflito é sempre contra o comércio. O Brasil não tem como ganhar com isso. O Brasil ganha com a paz'.

  • O fato de Donald Trump estar doze horas sem tuitar já é uma boa notícia
    'O fato de Donald Trump estar doze horas sem tuitar já é uma boa notícia'
    Duração: 11min | 08/01/2020

    Míriam Leitão diz que os sinais agora são de uma posição mais serena dos Estados Unidos em relação ao conflito com o Irã. No começo, Trump agiu sozinho. Desde ontem, ele passou a ouvir mais os comandantes militares. 'Se houver uma escalada agora e morte de americanos, isso pode afetar a pretensão dele a reeleição'. Ela acrescenta que Trump já enfrenta um processo de impeachment e um processo de eleição que será complicado.

  • ‘O mercado começou a se recuperar’
    ‘O mercado começou a se recuperar’
    Duração: 08min | 08/01/2020

    O preço do petróleo chegou a disparar após o Irã atacar a base americana No Iraque. Miriam Leitão explica que a crise no Irã vai manter volatilidade no preço do Petróleo, mas sem disparada como já aconteceu em outros episódios.

  • ‘O governo Bolsonaro não sabe muito o que fazer em qualquer alta do petróleo’
    ‘O governo Bolsonaro não sabe muito o que fazer em qualquer alta do petróleo’
    Duração: 12min | 07/01/2020

    Para Míriam Leitão, falta planejamento prévio do governo em relação à flutuação do preço do petróleo e o governo vive um dilema entre a política liberal e a intervencionista. Enquanto o presidente quer intervir no preço, a equipe econômica defende o livre mercado. Ministro das Minas e Energia sugeriu criação de um fundo semelhante à Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico, adotada pelo governo FHC para atenuar os efeitos do preço do petróleo no início dos anos 2000.

  • Nota sobre Irã mostra mudança radical do Brasil na política externa
    Nota sobre Irã mostra mudança radical do Brasil na política externa
    Duração: 09min | 07/01/2020

    Miriam Leitão comenta que o Brasil sempre seguiu as considerações da ONU sobre grupos terroristas. O posicionamento pode afetar a economia do país já que o Brasil exporta R$ 2 bilhões para o Irã. Outros países também podem se solidarizar e se afastar do Brasil.

  • A pressão vai ser forte, mas não vai ser fora de controle
    'A pressão vai ser forte, mas não vai ser fora de controle'
    Duração: 07min | 06/01/2020

    Míriam Leitão fala dos reflexos na economia da situação de tensão entre Estados Unidos e Irã. Hoje, o presidente Bolsonaro se reúne com técnicos da Petrobras para discutir o impacto da alta do preço do petróleo no mercado interno brasileiro. Miriam Leitão diz que não vai haver uma disparada do petróleo como houve em outras crises.

  • Desemprego foi o grande problema do ano no país
    Desemprego foi o grande problema do ano no país
    Duração: 10min | 27/12/2019

    Final do ano chegou a registrar uma melhora nos índices, mas Míriam Leitão destaca que ainda há muitos desempregados no Brasil. São nada menos que 11,9 milhões de pessoas. E o próprio governo admite que um índice com apenas um dígito só será possível mesmo em 2022. A analista comenta, ainda, dados do comércio, da inflação, entre outros pontos.

  • Queda dos juros fez investidores reverem suas aplicações
    Queda dos juros fez investidores reverem suas aplicações
    Duração: 07min | 27/12/2019

    Selic em 4,5% é resultado de coisas boas, como a queda da inflação, que começou no governo Temer. Agora, é preciso se dedicar e aprender outras formas de fazer o dinheiro crescer fora da renda fixa.

  • Governo usa autoritarismo e fere autonomia universitária ao mudar forma de eleger reitor
    'Governo usa autoritarismo e fere autonomia universitária' ao mudar forma de eleger reitor
    Duração: 05min | 26/12/2019

    Míriam Leitão comenta a decisão do presidente Bolsonaro, que mudou a forma de escolha dos reitores de universidades federais. Entre as modificações, está o aumento do peso do voto do professor nas eleições internas. 'Mesmo sendo normal que os professores tenham mais peso, o problema é que a medida estabelece, a partir de Brasília, de forma autoritária, como (a eleição) vai ser'.

  • Governo Bolsonaro fez muito pouco para reduzir desemprego
    Governo Bolsonaro fez muito pouco para reduzir desemprego
    Duração: 06min | 26/12/2019

    Há uma previsão de crescimento do emprego de forma lenta e gradual. Esse é o assunto continua sendo o mais doloroso da economia. Presidente lançou o programa Verde Amarelo, de geração de empregos. O projeto é ruim e, agora, o Congresso acabou ficando responsável por aprimorá-lo.

  • Apesar de trégua, guerra comercial já impactou a economia mundial
    Apesar de trégua, guerra comercial já impactou a economia mundial
    Duração: 08min | 25/12/2019

    O ano de 2019 chegou ao fim com os EUA e a China preparando um esboço de acordo. Os dois países passaram o ano aplicando sobretaxas para negociar e em seguida anular a nova barreira. A economia não aceita desaforo. Nessa briga, as pessoas tomaram suas decisões com base nessas medidas protecionistas. Isso impactou o comércio global.

  • Economia global teve momentos conturbados em 2019
    Economia global teve momentos conturbados em 2019
    Duração: 09min | 25/12/2019

    Principal marco foi a guerra comercial entre EUA e China, que deixou sequelas no mundo inteiro. Crescimento do comércio mundial desacelerou. Outro destaque foi a crise na Argentina.

Informações: